Redenção do Gurguéia
SOBRE O AUTOR

Redação Portal R10 em Teresina (PI).

 

Redenção do Gurguéia

Rádio fecha e deixa a população de Redenção do Gurgueia desinformada

6 de Julho de 2017 às 12:34
Rádio está abandonada. Rádio está abandonada.Foto: Divulgação

A Rádio Redenção FM, que já foi o meio de comunicação mais importante do município de Redenção do Gurguéia, agora padece de investimentos. A tradicional rádio que começou a funcionar em 1998 está abandonada.

Há cerca de 30 dias não há mais programação na rádio e o silêncio desse tradicional meio de comunicação da cidade tem entristecido os moradores. Atualmente, a direção da Rádio foi renovada e tem como presidente Carlos Fonseca.

O local onde funcionava a rádio já não conta mais com os equipamentos necessários para o funcionamento da rádio. Informações extraoficiais que circulam pela cidade é que os equipamentos que antes tinham no local, foram retirados porque seriam emprestados e teriam sido retirados pela antiga gestão.

Outro problema ainda maior, é que a Rádio mesmo com quase 20 anos de existência ainda não possuí uma sede própria. Ou seja, até a sede era emprestada e por oitos os inquilinos radialistas precisavam apenas custear os talões de água e energia.

Até agora não foi emitido nenhum comunicado à população informando por que as ondas da rádio não ecoam mais na cidade e mantém informado seu povo.

Equipamentos foram retirados da rádio.Equipamentos foram retirados da rádio.Foto: Reprodução

Regras
O Ministério das Comunicações adotou novas regras para a concessão de rádios e televisões comerciais no País, alterando o antigo Decreto nº 52.795, que vigora desde 1963. O interessado em obter a concessão de uma emissora comercial deverá comprovar capacidade financeira e técnica para executar o serviço.

Sobre o conteúdo, além do tempo destinado a programas jornalísticos, educativos, culturais e informativos, o tempo de programas produzidos no município de outorga (produção local) e a programas produzidos por empresas que não mantenham vínculo com empresas ou entidades executoras de serviços de radiodifusão (produção independente). Ou seja, segue uma diretriz do artigo 221 da Constituição Federal de valorização da produção local e independente, com o objetivo de ampliar a geração de empregos e fomentar um mercado produtor nas cidades sede das novas outorgas.

Todo conteúdo, imagem e/ou opiniões constantes aqui neste espaço são de responsabilidade civil e penal exclusiva do colunista. O material aqui divulgado não mantém qualquer relação com a opinião editorial do R10.

Veja também